quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Sobre quando a vaca foi pro brejo.



Era uma vez uma sapa. Inexperiente ainda, tadinha, pouco sabia do mundo sapo. Essa sapa, um dia, conheceu outra sapa, que embora mais novinha, era mais experiente. Elas então se apaixonaram. Foi lindo, o lago todo ficou em festa. E quanto mais elas ficavam juntas, mais as noites de luar pareciam ficar lindas.


Então a sapinha inexperiente, ouvindo toda a voz da experiência da sua amada, resolveu convidá-la para morar no seu brejo. Sim, ela estava um pouco relutante e apreensiva, mas a outra era tão experiente, e tão confiante e queria tanto aquilo que ela também passou a querer...


A sapinha pensou que a melhor coisa que tinha feito em sua vida era ter convidado a sapa pra vir morar em seu brejo. O brejo ficou lindo! A sapa experiente sabia deixar aquele brejo como outro!


Mas um dia a sapa, do alto de toda sua experiência, disse que aquele brejo não servia para ela. Então a sapinha pensou que teriam de achar um outro brejo para elas viverem felizes. Mas a sapa experiente disse que isso já não era mais possível, e deixou o brejo e a sapinha para trás.

Demorou para a sapinha perceber que o que a outra sapa também tinha deixado para trás um pouco de experiência. Demorou para ela entender que na realidade ela não tinha convidado uma sapa para morar em seu brejo, na realidade ela tinha convidado uma vaca! E a vaca foi pro brejo! Ela achava que sua vida tinha ido junto...

Então ela percebeu que alguns animais se fantasiam, se camuflam, e que é dificil distinguir. Distinguir a vaca da sapa. O burro do cachorro. Gato com lebre. O gato e o gambá, e tantos outros... Sabia que tem até veado que é urso! ?


Então ela acabou não convidando mais ninguém para o seu brejo. Ela tinha medo de se confundir novamente.

Ela falava, conversava, e até dava uns beijinhos em alguns aminais do lago. Mas ficava sempre desconfiada. Ela nunca sabia se aquele animal que ela via, realmente era aquilo mesmo. E como saber?


Só depois de muuuuito tempo é que ela percebeu algumas coisas. Foi nesta época que ela percebeu que não era assim tão inexperiente. Talvez algumas sapas, ou vacas, quisessem que ela pensasse assim. Porque ela percebeu que pelo menos de uma coisa ela sabia. E que esse era um conhecimento muito valioso...


Ela sabia que não havia como ter certeza. Ela percebeu que nunca se sabe. Ninguém sabe. E que algumas vezes nós vamos mesmo confundir. Vamos nos enganar. E vamos nos machucar. E que isso dói. Dói mas ensina. Ensina a curar o machucado e a tentar novamente. Até um dia, quem sabe, poder encontrar aquela sapinha especial que sempre procuramos...

Eu estou testando uma sapinha que espero ser a especial para o meu brejo. Quem sabe? O importante é não desistir de tentar!

6 comentários:

  1. Muito massa!! Mas como é q eu voto no seu blog, não consigo votarrrrrrrrr

    ResponderExcluir
  2. Querida Lilian, a votação já acabou, talvez seja por isso que não conseguiu votar. Pois era muito simples, bastava clicar no banner do Top Blog á direita, e depois que abrir a página, colocar seu e-mail para confirmar.
    Agradeço por ter tentado, e a todas que votaram no nosso Blog. Não ganhamos o concurso, mas dentre tantos que se inscreveram, além de termos ficado entre as cem primeiras, ainda ganhamos o certificado Top Blog...
    Quem sabe ano que vem...
    Beijokas

    ResponderExcluir
  3. Olá, estou conhecendo o blog de vocês através de um outro que eu sigo.. e... simplesmente adorei o que vi por aqui!!!

    Posso seguir? gostaria de me deleitar aqui mais vezes!!

    bjs da lua.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o post e o blog.
    Estou seguindo, se der me faça uma visita tb.
    http://insideout-bea.blogspot.com/
    Meu carinho ♥

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkk...
    ri muito
    e concordei muito também (infelizmente neste caso)
    humpf!
    rs...
    Cristal

    ResponderExcluir